20 de abril de 2016

TORPOR NA RELVA

Though nothing can bring back the hour 
Of splendour in the grass, of glory in the flower, 
We will grieve not, rather find 
Strength in what remains behind
(William Wordsworth)

Chamar-lhe "esplendor" seria talvez demasiado poético, mas este preguiçar indolente sob o sol da tarde tem na verdade um pouco da glória dos prazeres simples. E tem também aquele brilho tão especial da luz de Abril, captado entre chuvadas de Primavera. Uma pequena extravagância, estes minutos roubados à rotina do trabalho:
Não costumo desenhar com lapiseira Bic, mas desta vez foi o que tinha à mão. O papel? Bem, o único que encontrei: uma das folhas A4 que tinha na impressora do meu gabinete. Algumas das figuras, como se vê, nem mereceram cor, tão frágil e delicado se mostrou o papel perante a aguarela...




Possamos nós, como aconselha Wordsworth, colher força no passado para fazer face ao futuro. Ou, no que toca a sestas na relva, gozar estes intervalos de sol para aguentar a chuva toda que ainda está para vir.

16 comentários:

  1. A Miú desenha mesmo bem a forma humana. Mesmo a caneta BIC :-) Estão mesmo realistas as posturas, a expressão... Adoro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Joana!
      Comecei por gostar de desenhar pessoas, muito antes de paisagens urbanas... Quando era adolescente, obrigava toda a gente da minha família e amigos a posarem para mim. Coitados, para eles era uma seca e nem sempre os retratos saíam bem!

      Eliminar
  2. Muito bom desenhar a descontração. Gosto muito na época da praia apanhar posturas estranhas ao sol. Bem escolhidos, os aguarelados.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estando a dormir, ou perfeitamente estáticos, como estes, a coisa ainda vai. O problema é desenhar pessoas em movimento! Mas tens razão, Henrique: a praia é um manancial de matéria a custo zero. :)

      Eliminar
  3. Parece que a rapariga vai saltar do papel. :-)

    ResponderEliminar
  4. E que bem que tu conseguiste materializar esse dolce far niente ou preguiçar indolente:)Lindo!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com a vinda das temperaturas mais quentes, queremos logo entrar em modo "dolce far niente", não é Manela?
      Beijinhos

      Eliminar
  5. Qué dibujos tan sencillos y tan bien hechos nos presentas. Eres una extraordinaria dibujante de figuras humanas. Captas perfectamente sus movimientos y poses. Me gustan mucho!
    Un abrazo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gosta, Joshemari? Fico muito contente. É muito agradável desenhar a figura humana, sempre tão variável e expressiva.
      Um abraço

      Eliminar
  6. Respostas
    1. Cheios de vida, mas felizmente cheios de preguiça, Teresa! Senão, impossíveis de desenhar. :)

      Eliminar
  7. Dizem que uma imagem vale por mil palavras ou algo assim parecido.
    Este primeiro desenho leva-me uns meses para a frente. Para o calor das férias e dessa "preguiça indolente" sem consciência pesada :) era o que me apetecia agora ... :)
    Como sempre gosto imenso de vir aqui e ver os teus desenhos. E agora que ando a aprender a desenhar a figura humana ainda aprecio mais este talento. Boa semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também me apetecia essa ausência de consciência pesada! Ia já para ali estender-me na relva. :)
      Andas a aprender a desenhar a figura humana, Paula? A sério? Mas como, com aulas de modelo ao vivo? Ah, agora é que não escapas a mostrar os teus progressos! :) Queremos ver os teus desenhos no "Andorinha", é uma ordem! :)

      Eliminar
  8. Miú,.... magníficos dibujos !!. Me gustan un montón !!. Saludos !!.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De verdad, Jon? Me quedo contenta. Muchas gracias.
      Un abrazo!

      Eliminar