31 de agosto de 2016

A CAPELA E O GUINDASTE


Como convém em zonas de faina marítima, a capela de Stª Catarina perfila-se junto ao Porto de Leixões, em Leça da Palmeira, muito perto do forte. Foi o meu segundo desenho do Encontro PoSk 4 (aqui particularmente entortado pela digitalização foleira feita em casa com o iPhone). E sim, aquela sucata em primeiro plano é, supostamente, uma carrinha Mercedes:



Este esboço bateu um recorde no meu historial de sketcher: o de o fazer em pé, com o caderno meio periclitante numa mão e a caneta, sem apoio, na outra. E quase bateu um segundo, o da velocidade, pois fi-lo em menos de um quarto de hora, uma raridade sempre para mim...


O meu terceiro e último desenho deste dia foi feito na marina de Leça. Porém, a profusão de informação visual e a proximidade cromática dos motivos (os barcos eram todos em branco e azul, azul e branco) fizeram com que o meu desenho se perdesse completamente. Mas lá o acabei. Só não pintei...


E aqui fica mais uma recordação de um belo encontro de quem gosta de desenhar (fotografia temporizada do Jorge Guedes):


6 comentários:

  1. Estou contente por ver os teus desenhos que não tinha tido oportunidade de ver "in loco" dada a brevidade do nosso encontro... Como sempre, vale a pena! E muito me surpreende o recorde de velocidade para um resultado tão conseguido!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois foi, Paulo, desta vez cruzámos-nos mesmo de fugida! Obrigada pelas palavras de apoio, demasiado generosas como sempre. :)

      Eliminar
  2. Que belos desenhos, Miú! Gostava de ter esta espontaneidade de desenhar tudo aquilo que se observa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Paulo, mas não é bem tudo... Há muitas coisas que finjo não ver. :)

      Eliminar
  3. Miú como é que é possível desenhar tão bem e tão rapidamente?! Já tinha visto o primeiro desenho e tinha achado fantástico. Mas três desenhos num único encontro nem sei bem o que dizer! Além disso a capacidade de observação de tantos detalhes em tão pouco tempo também tem que se lhe diga! Como sempre, acho incrível!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. És uma querida, Paula, ao elogiar dessa forma uma trapalhona como eu. :)

      Eliminar