31 de dezembro de 2016

UM NU PARA FECHAR O ANO


Com o frio que está lá fora não apetece muito tirar a roupa, mas esta modelo não se mostra nada arrepiada. Encontrei-a num site chamado "Quick Poses" para aprendizes de gatafunhices (como eu), onde algumas almas caridosas se despem para bem da arte. É o primeiro nu que aqui publico, e é um pouco inglório pois não foi feito ao vivo, mas a olhar para a fotografia. Bah! Servirá para dizer adeus ao ano velho – e fazer votos para que 2017 nos deixe mais aconchegados e menos despidos, digamos, de esperança!


16 de dezembro de 2016

A BATALHAR NA BATALHA


Ultimamente tenho andado tão preguiçosa para o desenho (e tão ocupada com coisas do trabalho) que praticamente só pego no caderno quando há encontros convocados. E este – o oitavo dos PoSk – foi ainda por cima convocado por... mim! Estava um frio gélido naquela manhã de fim de Novembro e caíam de vez em quando umas gotas impertinentes, mas como podia eu faltar? Lá fui, de barrete soviético na cabeça e bem enchouriçada. O meu plano era desenhar a fachada do Teatro S. João que se via no meu cartaz, mas resolvi-me antes pela Igreja de Stº Ildefonso e pelo largo em frente, onde desagua a Rua de Stª Catarina. O desenho foi mais uma vez pintado em casa e ficou assim:


O gigantone ali no meio não existia no esboço inicial, em que se avistam figuras sim, mas mais discretas, entre as quais o António, o Armando e a Alberta, eles também na labuta dos lápis e pincéis:


Depois do agradável almoço conjunto, que foi ali mesmo num snack-bar da Praça da Batalha, comecei a desejar ardentemente o meu sofá e umas pantufas. E assim desisti de mais empreendimentos pseudo-artísticos. Mas ficou a fotografia do grupo, essa cheia de calor humano, cujo mote parecia ser: "Contra o frio e os chuviscos... desenhar, desenhar"!



8 de dezembro de 2016

CASARIO DE MIRAGAIA


Finalmente pintei o desenho da manhã do Encontro PoSk 7, que teve lugar há mais de um mês em Miragaia. Foi no dia 29 de Outubro, um sábado extemporaneamente quente para vésperas dos Santos. O plano do Encontro era desenharmos o ambiente em torno da Alfândega na parte da manhã, e à tarde o Museu dos Transportes, onde estava patente uma mostra dos carros presidenciais, que eu já mostrei aqui. E assim foi. Quando cheguei sentei-me logo ali, de costas para o enorme edifício da Alfândega, numa escadaria que dava para um pequeno largo de paleta variada e muita vida:



O desenho mostra um presépio de casas, tão desencontradas quanto harmoniosas na sua diversidade:






Uma curiosidade é que os turistas, que abundam por ali, paravam de vez em quando a observar-nos, fazendo perguntas ou, gentilmente, algum elogio. Este foi um desses momentos, apanhado ao longe pelo Abnose com o zoom do seu telemóvel, em que um simpático grupo se acercou para dar dois dedos de conversa:



E nota-se como estávamos todos deliciados ao sol daquele Verão de S. Martinho antecipado...