18 de abril de 2017

PARAÍSO EM PENELA


Mais uma revelação: poucos quilómetros ao largo de Coimbra, já depois de Condeixa, e do bulício, e do trânsito caótico, subitamente... nem sombra de civilização, apenas árvores, árvores a perder de vista! É a serra de Sicó, de que eu na minha ignorância nunca ouvira falar. E, numa curva, a vila de Penela, com um castelo belíssimo e o casario branco a descer em cascata pela colina. O hotel onde ficámos, nesta brevíssima pausa pascal, encontra-se um pouco mais abaixo, junto a um curso de água, com mó, moinho e diques variados. Não resisti a um desenho durante uma caminhada matinal, que depois colori, metendo-me em senhoras alhadas no que toca aos dificílimos verdes:


Deixo aqui duas outras imagens, mais fiéis à beleza do original, naquela manhã de quinta-feira a saber a férias:



8 comentários:

  1. Penela não fica para o lados de Conimbriga? Lembro-te de ter ido lá pelos tempos da faculdade mas nunca mais voltei. O desenho ficou muito fresco, parece um sitio muito repousante, boa miu!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fica, sim. Passámos por várias placas a indicar Conímbriga. :)
      Muito obrigada, Margarida!

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Gostas, a sério, Ana?
      Fico contente! :)

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Muito obrigada, José. E seja bem regressado!

      Eliminar
  4. Muito fresquinho, e também ele a saber a férias!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Teresa!
      Foram umas mini-mini-mini-férias. :)

      Eliminar