17 de março de 2018

FUNDAÇÃO CUPERTINO DE MIRANDA...


... em Famalicão. Foi hoje à tarde, depois da visita à exposição dos PoSk, que fiz este desenho, no primeiro dia de sol após duas semanas de intensa chuva, vento e frio. Só por isso — mas talvez só mesmo por isso — já merece aqui estar. É que, não contente com o primeiro grande erro, o de fazer um edifício esparramado de frente, decidi cometer o segundo: espetar com o elemento saliente mesmo no meio do desenho. Céus, lixo com ele! Em casa pus as cores, bastante garridas (terceiro erro, para não contar outros), aqui ficando o triste resultado:



Os azulejos com desenho abstracto tão típicos da torre estavam cobertos por um taipal gigantesco, anunciando a urbe como centro português do surrealismo. O sol, esse, não estava coberto, brilhando calidamente na Praça D. Maria II:


5 comentários:

  1. Pois eu acho as cores alegres e o edifício vê-se logo qual é, gostei, não digas sempre que está mal Miu!

    ResponderEliminar
  2. Ora, não devemos estar a olhar para o mesmo desenho Miú. Eu vejo arte e cor nesse desenho, não vejo lixo... A torre é mesmo assim, alta e um bocadinho 'feínha', digamos... Diga-me que não o deitou fora :-( :-( :-( Ou então onde é o caixote para eu ir lá resgatá-lo :-) :-) :-) Esteve aqui tão pertinho. Se algum dia vier a Santo Tirso desenhar, ainda nos encontramos. Beijinho grande. Joana.

    ResponderEliminar
  3. Às vezes a realidade não ajuda e também me parece que a maior parte das pessoas tem tendência a ser muito crítica em relação a si própria.
    Eu também sou um bocadinho assim.
    Eu acho que está óptimo Miú!

    ResponderEliminar
  4. Como en otras ocasiones, me gusta más el dibujo que pintado.
    Un abrazo.

    ResponderEliminar