7 de dezembro de 2017

TRÊS JACINTOS


Continuo com as minhas experimentações (deliciadas) no desenho botânico. Desta vez, jacintos — bolbosos e carnudos, também sobre fundo liso, monocromático. O papel, igualmente grosso e texturado. E dezenas de pequenas flores, frágeis e vibráteis, recortadas sobre o verde:


Não, este não é um "sketch" dos que costumo fazer. Muito menos daqueles de alegados 15 minutos. E também não tem nada de "urban". Mas estou a adorar. Aqui me vêem, pontinho a pontinho, a avançar laboriosamente nas caprichosas formas vegetais:


8 comentários:

  1. Sou um apreciador dos códices de Botânica, muitos dos finais ainda do séc. XVIII, como é o caso das obras dos irmãos austríacos Franz Andreas Bauer (1758 – 1840) e Ferdinand Lucas Bauer (1760 – 1826). Mas há também muitos britânicos e franceses de renome. Bela tradição.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pela comparação subjacente, Carlos, eheh! Não conhecia esses irmãos Bauer, mas vou investigar.

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Muito obrigada, Marta, fico contente que goste!

      Eliminar
  3. Muy bien Miú, todo lo que se hace en el arte del dibujo y pintura es siempre interesante. Para ser un gran pintor, es importante saber dibujar primero y lo demás viene con un un poco de gusto y técnica.
    Así que todo es bueno. Es ejercicio, investigación y probar y probar.
    Te deseo unas felices fiestas de Navidad y que el próximo año 2018 sea aún mucho mejor que está acabando.
    Un fuerte abrazo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo, Joshemari: tudo o que der gosto à mão e ajudar a praticar o desenho é bem-vindo!
      Os meus melhores votos também para si, com um abraço amigo.

      Eliminar
  4. OLá Miú! Estes desenhos são diferentes, mas muito bonitos! E gosto desse papel mais grosso :)
    Votos renovados de um Feliz Natal! Bjinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Manelinha! Agora ando nesta onda "botânico-floral"...
      Até breve e um grande beijinho!

      Eliminar